quinta-feira, 25 de junho de 2015

JOHAN KROUTHÉN

JOHAN KROUTHÉN - No salão, Minna e Carl-Fredrik von Malmborg
Óleo sobre tela - 45 x 60 - 1887


Além de ótimo desenhista e muito bom colorista, Johan Kouthén tinha muito bom gosto pelas suas composições e dizia que as cenas da natureza que o inspiravam sempre precisavam de alguns retoques. Mais que um artista realista, ele era um artista idealista. Dizia que as sombras precisavam de ajustes e as cores do natural sempre poderiam ser melhoradas. Graças a essas particularidades, foi um artista que rompeu com as tradições da Academia Sueca e criou uma maneira bem particular de fazer, sintonizando muito com os movimentos impressionistas, muito em voga em sua época.

JOHAN KROUTHÉN - Interior de jardim - Óleo sobre tela - 69 x 95 - Entre 1887 e 1888

JOHAN KROUTHÉN - Paisagem de outono - Óleo sobre tela - 70 x 95 - 1889

Johan Krouthén nasceu a 2 de novembro de 1858, em Linköping, na Suécia. Os pais, Conrad Krouthén e Hilda Atkins, eram comerciantes. Aos 14 anos, deixou a escola e conseguiu uma vaga de estagiário com Svante Leonard Rydholm, que além de fotógrafo era artista. Foi um bom período, pois aprendeu os princípios básicos da fotografia e da pintura, que lhe deram embasamento para conquistar uma vaga na Academia Real Sueca de Artes, em 1875, com apenas 16 anos. Ali estudou desenho e pintura. Nessa última técnica, especializou-se principalmente no retrato e na paisagem. Edvard Perseus, que além de seu professor na academia era também crítico de arte, foi quem o incentivou bastante a pintar diretamente da natureza, incentivando o plein air em terras suecas.

JOHAN KROUTHÉN - Júlio e Ana Krouthén no verão
Óleo sobre tela - 1890

JOHAN KROUTHÉN - Uma praia na Suécia - Óleo sobre tela - 75 x 106 - 1906

Oscar Björck e Anders Zorn eram seus principais colegas na Academia e um fato interessante aconteceu no outono de 1881, envolvendo um desses amigos. Zorn não concordava muito com a grade curricular da Academia e nunca a seguia na íntegra. Advertido pelo presidente da Academia, Georg von Rosen, que seria punido, caso não se comprometesse a cumprir os estudos curriculares da instituição, Zorn logo se adiantou e pediu para ir embora. Solidário com o amigo, Krouthén também decidiu sair. Assim que deixou a escola, passou uma curta temporada em Paris, que era um destino muito procurado por artistas suecos daquela época.

JOHAN KROUTHÉN - Sol da noite, com marinheiros no horizonte
Óleo sobre tela - 90 x 116 - 1905

JOHAN KROUTHÉN - Negro Pettersson
Óleo sobre tela - 120 x 78 - 1870

No verão de 1883, ingressou num grupo de artistas que viria a ser conhecido como a Escola de Skagen, uma região no norte da Jutlândia. Oscar Björck faria companhia a ele nesse período. Ali se encontravam com regularidade, artistas da Dinamarca, Noruega e Suécia. Todos defendiam o naturalismo como bandeira principal do movimento. Naquele ano, Krouthén ficaria ali de maio a outubro. Diferentemente dos demais artistas, que concentravam seus temas nos pescadores e suas rotinas, Krouthén preferia explorar as paisagens planas costeiras. Ele ainda continuaria abordando a sua temática paisagística em Linköping.

JOHAN KROUTHÉN - Paisagem de verão com crianças - Óleo sobre tela - 96 x 140 - 1902

JOHAN KROUTHÉN - Moças lendo numa paisagem de verão - Óleo sobre tela - 75 x 100 - 1908

Em 1884, conheceu Hulda Ottoson e viria a se casar com ela dois anos depois. Tiveram uma vida conjugal curta e trágica. Perderam um primeiro filho em 1886, logo que se casaram; e em 1891, quando deu à luz gêmeos, Hulda morreu durante o parto. Foram tempos difíceis, tendo que criar os filhos numa região onde a arte não tinha a aceitação como as grandes cidades da Europa. Para ajudar, fazia sorteios de arte com as suas obras. Assim, foi se estabelecendo principalmente na pinturas paisagística de jardins, uma temática muito popular e que também lhe agradava.

JOHAN KROUTHÉN - Paisagem com garotos em um barco - Óleo sobre tela - 44 x 64 - 1909

JOHAN KROUTHÉN - Paisagem com vacas  - Óleo sobre tela - 57,5 x 73 - 1910

Nem tudo estava perdido, uma de suas telas conseguiu uma medalha de ouro no Salão de Paris de 1889, o que não só aumentou seus ânimos, como também o projetou para o mercado além de sua região. Além, é claro, de ser um incentivo para vários artistas suecos. Pintando principalmente retratos e interiores, ele termina a década de 1880 como o período mais prolífico de sua carreira. Nessa época, principalmente por causa das premiações que lhe eram oferecidas, já começava a ser um artista requisitado pelos colecionadores. Erik Hjalmar Segersteen foi um dos mais importantes deles, tanto que Krouthén o eternizou em um de seus trabalhos.

JOHAN KROUTHÉN - Paisagem na costa norte de Halland - Óleo sobre tela - 72,5 x 104 - 1912

JOHAN KROUTHÉN - Pastora e ovelhas no verão - Óleo sobre tela - 1899

Em 1902, Krouthén se casaria novamente, agora com Clara Söderlund. Bem mais conhecido, atendia encomendas de retratos e grandes pinturas religiosas para altares de igrejas. Desmotivado com os rumos modernistas que a arte tomava naquele período, Krouthén insistia em pintar seus temas preferidos, principalmente paisagens. Chegou a ser criticado por fazer cenas de casas vermelhas em meio a vegetação de jardins e florestas. Muitas delas repetidas e sem muita inovação nas composições e com paleta de cores bem semelhante.

JOHAN KROUTHÉN - Cena de verão com galinhas comendo - Óleo sobre tela - 50 x 75 - 1914

JOHAN KROUTHÉN - Menina no portão - Óleo sobre tela - 72 x 104,5 - 1911

Mesmo mudando para Estocolmo, em 1909, e expondo regularmente por lá, sua clientela era basicamente formada por moradores da região de Linköping. A arte moderna o irritava ainda mais nesse período e ele afirmava não ver um futuro muito brilhante para a arte, a partir dali. Para manter a família e o nível da vida que levavam, sujeitava a encomendas que nem eram tão interessantes do ponto de vista artístico. Mas, ainda procurava fazer o que gostava e sempre visitava sua cidade natal. Em 1932, preparando-se para os festejos do 80º aniversário do Stora Hotel, em Linköping, uma semana antes do natal, Krouthén sofreu um derrame e foi encontrado morto em seu quarto de hotel.

JOHAN KROUTHÉN - Paisagem de verão com uma velha fazenda
Óleo sobre tela - 80 x 110 - 1917

JOHAN KROUTHÉN - Verão idílico na fazenda - Óleo sobre tela - 72 x 105 - 1912

Toda a coleção de arte pertencente a Erik Hjalmar foi comprada por Pehr Swartz, que a doou ao Museu de Arte de Norrköping. Muitas obras de Krouthén fazem parte dessa coleção. No County Museum of Östergötland, em Linköping, também se encontram diversas de suas obras. Johan Krouthén continua sendo um artista bem solicitado nas casas de leilão em toda Europa.

JOHAN KROUTHÉN - Autorretrato
Óleo sobre tela - 1904