domingo, 14 de dezembro de 2014

ADRIEN MOREAU

ADRIEN MOREAU - O casamento - Óleo sobre tela - 61 x 81,3 - 1882 - Coleção particular

ADRIEN MOREAU - O descanso - Óleo sobre tela

Com a mesma dedicação e respeito que representava as classes superiores francesas, Adrien Moreau também executava suas composições com camponeses. Essas duas temáticas viriam compor quase que a totalidade de sua produção. Esse cuidado dispensado com igual valor a qualquer classe social é algo que nos faz pensar que Moreau comungava de um pensamento que acompanha as pessoas que querem bem: sob o mesmo sol, somos todos iguais. E fazia ambas temáticas com um virtuosismo admirável, não sonegando dignidade a nenhum de seus personagens. Um crítico do The Magazine of Art Ilustrated, afirmou em 1880, que Moreau era um artista com as pontas do dedo, tamanho o preciosismo e veracidade com representava tanto figuras quanto paisagens.

ADRIEN MOREAU - As bodas de prata - Óleo sobre tela - 94 x 132,5 - 1879

ADRIEN MOUREAU - O barco - Óleo sobre tela - 128,9 x 201,3 - 1884

Moreau nasceu na cidade francesa de Troyes, a 18 de abril de 1843 e faleceu em Paris, a 22 de fevereiro de 1906. Além de pintor de cenas de gênero e históricas, também foi um escultor e ilustrador. Teve o respeito conquistado para seus trabalhos ainda jovem, vindo a conquistar honrarias em diversas participações que fez no Salão de Paris, a referência artística para a sua época.

ADRIEN MOREAU - O pequeno concerto - Óleo sobre tela - 115 x 89

Apesar de ter se relacionado com vários artistas desde cedo, sua família tinha outras aspirações para ele. Para o pai, o filho deveria se formar em Direito. Eventualmente, o desejo de Adrien venceu e começou sua primeira formação artística como um aprendiz de vidreiro em sua cidade natal. Logo ele partiu para Paris para prosseguir sua verdadeira formação artística no tradicional atelier École des Beaux-Arts. Ele trabalhou primeiramente com Léon Cogniet, mas um ano depois começou a estudar com o grande pintor acadêmico Isidore Pils, artistas que mantiveram ateliers muito bem-estabelecidos. Um artista clássico por formação, Moreau começou a explorar os temas que o ocupariam para o resto de sua vida - gênero e pintura histórica.

ADRIEN MOREAU - Arando os campos - Óleo sobre tela - 116,8 x 167,6

ADRIEN MOREAU - Um baile de máscaras no século XVII - Óleo sobre tela - 38,5 x 52,5 pol

Moreau estreou no Salão de Paris, em 1868, com um assunto religioso que o colocou entre as fileiras dos maiores pintores de gênero contemporâneo. Ele seguiu o seu debut no próximo ano com uma pintura neo-clássica intitulada Nero na Casa dos Belluaires. Pouco tempo depois de suas exposições do Salão, a guerra franco-prussiana de 1870-71 eclodiu, o que resultou em ataques militares nas ruas de Paris. Nesse período, teve até o seu ateliê destruído por explosões. Voltou a exibir no Salão em 1873, com Concerto Amador em Atelier de um artista. Foi este tipo de pintura que oficialmente estabeleceu a sua reputação, e, especialmente, encontrou um público que estava ansioso para adquirir essas imagens nostálgicas. CH Stranahan, em A História da Pintura, classificou seu trabalho como caindo "para a classe de gênero histórico, que, no entanto, pinta com um bom humor, mas com um toque sempre hábil . "

ADRIEN MOREAU - Chamado para a procissão - Óleo sobre tela - 90,8 x 116,8

A pintura de gênero histórico de Moreau foi muitas vezes traduzida em uma demonstração de elegância e refinamento da classe alta. No final do século XIX, teve um grande interesse em cenas dos tempos passados. Artistas como Meissonier, Madou, Detti, Moreau, Hamza e Stone estavam entre seus maiores defensores e os detalhes e a precisão das suas obras foram admiradas por muitos colecionadores da época. Assim como ele, muitos artistas começaram a olhar para os século XVII e XVIII como uma era de elegância.

ADRIEN MOREAU - O barqueiro - Óleo sobre tela - 73,6 x 92,7

ADRIEN MOREAU - Soldados numa parada para descanso - Óleo sobre tela - 56 x 81 - 1906

Colecionadores de todo o mundo disputavam os trabalhos de Moreau e muitas de suas pinturas importantes foram adquiridas pelos americanos ricos da época. As pinturas de Moreau foram altamente recomendadas por críticos e muitas delas foram reproduzidas nos livros de história da arte mais importantes do período, uma vez que transmitiam uma boa ideia do período histórico que representavam.

ADRIEN MOREAU - No parque
Aquarela e guache sobre papel - 36,8 x 27,3

Embora hoje Moreau possa ser lembrado mais por essas imagens do século XVIII, ele também executou uma série de composições que mostram o campesinato e sua vida, incluindo aspectos da paisagem e do ambiente. Uma coisa é verdade sobre ele que se pode dizer de muito poucos artistas – ele pintava com igual maestria tanto a paisagem como a figura humana; e ele dá o mesmo cuidado na interpretação de cada um, não sendo desrespeitados em favor do outro.

ADRIEN MOREAU - A corte - Óleo sobre tela - 103,5 x 90,1 - Coleção particular

ADRIEN MOREAU - Os noivos
Óleo sobre linho - Óleo sobre linho - 65,5 x 52 - 1876

Por um longo período, continuou explorando como poucos as cenas históricas do passado francês. Expôs diversas vezes no Salão com esses temas. Durante sua vida, o artista recebeu, também, propostas para ilustrar várias obras, incluindo muitas obras reeditadas de mestres literários franceses, como Victor Hugo e especialmente Voltaire. Para estes, ele fez aquarelas e desenhos, e mostrou que ele tinha mais talento além da pintura a óleo. Ilustração tornou-se um meio viável de ganhar uma renda suplementar e Moreau foi claramente ligado com o mundo literário; escrevendo um livro sobre a história da família Moreau, intitulado Les Moreau .

ADRIEN MOREAU - Camponesa com vacas em uma vazante - Óleo sobre tela - 35,25 x 46 pol


Em 1892, ele tinha mostrado ser uma parte importante das tradições académicas da época e foi premiado com o Chevalier de la Legion d'Honneur . Como membro ativo do Salão, ele continuou a viver e trabalhar em Paris até sua morte. As imagens de Moreau popularizaram a atenção do público para os períodos históricos da França, onde eles começaram a olhar com reverência absoluta. Foi um artista “humano”, se é que assim pode se classificar um artista. Além de excelente profissional, foi uma pessoa que dedicou atenção em favor da construção de um mundo melhor.