domingo, 26 de junho de 2016

GIANLUCA CORONA

GIANLUCA CORONA - Controvento - Óleo sobre madeira - 60 x 100 - 2014

GIANLUCA CORONA - Mel natural - Óleo sobre madeira - 50 x 80

A natureza-morta é um gênero de pintura que se caracteriza pela representação de objetos inanimados e foi utilizada pela primeira vez na Grécia, segundo antigas escavações por lá. Seguidora fervorosa das tradições e novidades que vinham da Grécia, a Itália também adotou o gênero, como comprovam escavações feitas em Pompeia, onde pinturas e mosaicos adornavam paredes e objetos. Aliás, a Itália se tornou um país com produção considerável dessa vertente. O Renascimento daria nomes louváveis nessa área, como Caravaggio, e o país serviria também de incentivo para os países do norte da Europa. Mantendo a tradição italiana de naturezas mortas, Gianluca Corona é um dos grandes representantes atuais nessa área.

GIANLUCA CORONA - Composição com ameixas e magnólia - Óleo sobre madeira - 40 x 60

GIANLUCA CORONA - Consonanza - Óleo sobre tela colada em madeira - 25 x 50 - 2012

Gianluca Corona nasceu na cidade de Milão, no ano de 1969 e em 1991 ele já estaria formado pela Academia de Belas Artes de Brera, também na cidade de Milão. Uma das referências artísticas da cidade e também do norte da Itália, a Academia de Brera, como é mais conhecida, é um emblema da perfeita ligação entre Ciência, Letras e Artes. Gianluca se formou ali sob rigorosa disciplina. Ao deixar a Academia, ele concluiu seus estudos na cidade de Bérgamo, agora sob os ensinamentos de Mario Donizetti. Conhecido internacionalmente por ser um ensaísta e eficiente artista técnico, Donizetti também apurou em Corona o gosto pelo trabalho bem executado e o rigor da aplicação técnica.

GIANLUCA CORONA - Uvas - Óleo sobre tela - 70 x 100 - 2011

Não é de estranhar que a arte de Gianluca Corona tenha inspiração nos mestres passados. Ele se apossou das técnicas tradicionais dos séculos XVI e XVII e faz questão de utilizar os mesmo materiais desenvolvidos naqueles tempos. Ele aplica os conhecidos baseados daquelas épocas em retratos e naturezas mortas. Essas últimas são o cartão de visita de sua produção e com elas vem conquistando respeito dentro e fora de seu país.

GIANLUCA CORONA - Figos - Óleo sobre madeira - 25 x 35 - 2011

GIANLUCA CORONA - Scarlet - Óleo sobre madeira - 25 x 25 - 2013

Diversos críticos e conhecedores da arte italiana, colocam esse artista lombardo como um profissional sem paralelo na arte figurativa de seu país. De comportamento humilde, seletivo em suas composições e produção altamente eficiente, é sensato dizer que Gianluca Corona já deixa sua marca na arte italiana desses tempos.

GIANLUCA CORONA - Susine - Óleo sobre madeira - 30 x 55 - 2014

Até bem pouco tempo atrás, a natureza morta era considerada um gênero secundário da arte pictórica em diversas partes do mundo. Felizmente, esse gênero retorna com força ao cenário mundial, graças às grandes feiras internacionais e exposições mundiais que ressuscitaram essa temática. E, evidentemente, aos competentes artistas de vários países que vem devolvendo a esse gênero, o lugar de destaque que não merecia ter perdido. Devido ao grande sucesso de Gianluca Corona com essa temática, em exposições em Londres e Bélgica, ele se tornou o grande artista italiano representante desse gênero na atualidade.

GIANLUCA CORONA - O mel de Miranda - Óleo sobre madeira - 35 x 80 - 2014

GIANLUCA CORONA - Duelando - Óleo sobre madeira - 25 x 55 - 2013

Com desempenho técnico admirável e com atenção especial dada a cada detalhe das obras, Corona se encaixa na vertente hiper-realista dessa nova safra de pintores de naturezas mortas. Nada escapa ao seu olhar: frutas, legumes, folhas, queijos, pães, objetos, todos relembrando a influência dos antigos trabalhos que foram a base de sua formação. A tensão vibrante que consegue em seus desenhos e pinturas, vai muito além do resultado fotográfico, como se conseguisse um realismo mágico, que expressa formas e cores de uma forma bem delicada.

GIANLUCA CORONA - Estados - Óleo sobre tela - 40 x 80

GIANLUCA CORONA - La contesa
Óleo sobre tela - 35 x 60

Para uma época, onde não pareça existir mais nada de novo a criar no mundo da arte, o melhor mesmo é observar atentamente o que os eficientes artistas dessa geração tem explorado com antigos temas. Gianluca Corona faz exatamente isso, pega os antigos temas e fórmulas, mas os reveste de todo seu sentimento e dedicação. Não há como não se sensibilizar com sua obra. O artista ainda vive e trabalha em Milão e suas obras estão espalhadas por várias coleções públicas e privadas de diversas partes do mundo.


PARA SABER MAIS: