sexta-feira, 13 de março de 2015

YURI KROTOV

YURI KROTOV - Menina com sombrinha vermelha
Óleo sobre tela - 50 x 61 - 2003

YURI KROTOV - Estudantes de Paris (detalhe)
Óleo sobre tela - 61 x 71 - 2007

É sempre um prazer falar sobre a arte do nosso tempo, ver e analisar os trabalhos e todas as suas propostas, e conhecer melhor os artistas que, por méritos, se tornaram as referências dessa geração. Por uma série de fatores, já estava em falta por ainda não falar sobre esse grande artista russo da atualidade e mostrar aqui alguns de seus inspiradores trabalhos. Com referências que vão lá ao final do século XIX, quando os impressionistas nos ensinaram a ver e representar o mundo de uma outra forma, Yuri Krotov desenvolve um trabalho poético, acima de tudo, mostrando e falando sobre a nossa atualidade e também nos lembrando que arte pode e deve ser atemporal.

YURI KROTOV - Uma rua de Paris
Óleo sobre tela

YURI KROTOV- Grand Cafe (detalhe)
Óleo sobre tela

A arte acadêmica desenvolvida até o final do século XIX trouxe muitas glórias para o mundo da arte. Revelou ao mundo, artistas que são reverenciados até hoje e cujos trabalhos ocuparam um lugar de destaque na história da arte de todos os tempos. Esse tipo de arte sempre esteve ligado a um processo de execução que prezava por intermináveis etapas trabalhadas com incansáveis veladuras e cuja execução, quase sempre demorada, exigia uma espécie de doação extra por parte daqueles que a praticavam, como também uma dose generosa de paciência, por todos aqueles que esperavam pelos resultados dos trabalhos. O século XX já batia à porta, com toda sua agitação e velocidade, quando um grupo de artistas decidiu que já não havia mais espaço para uma arte que não falasse ainda a linguagem veloz daqueles novos tempos. Era preciso criar algo que conjugasse a agitação dos novos tempos e que nunca perdesse a referência com os mestres passados. O Impressionismo veio propor isso, mostrar que é possível fazer arte para um novo tempo, mas preservar o respeito a todos aqueles que vieram antes daquela data, seja mantendo fidelidade aos conceitos de desenho ou mesmo não se desfazendo de muitos recursos assimilados de escolas anteriores.

YURI KROTOV - Brisa da manhã na vila de Kuban
Óleo sobre tela - 110 x 150 - 2012

YURI KROTOV - Mãe no jardim em primavera
Óleo sobre tela - 110 x 150 - 2012

Provavelmente, o maior desafio dos artistas impressionistas iniciantes foi converter todo um aprendizado calcado na prática da execução por etapas para uma prática completamente solta, que pudesse, inclusive, ser executada ao ar livre, coisa quase impensável até então. Se antes, a pintura era feita por um esboço cromático que ia gradualmente adquirindo suas cores em sucessivas veladuras, agora a composição já necessitava que tudo fosse feito em uma única observação. A explosão colorida e luminosa proposta pelos impressionistas, exigia também um conhecimento altíssimo sobre os tons e suas muitas possibilidades sobre cada cor e cada efeito desejado com suas misturas. Definir tons e colorir ao mesmo tempo foi o grande desafio a que todos os impressionistas impuseram sobre os novos tempos. E a ideia pegou tanto, que até hoje quase já não se pratica aquela antiga tradição dos trabalhos com intermináveis camadas e veladuras. Não que essas se tornaram totalmente ausentes, muitos impressionistas ainda utilizaram da prática da veladura para enriquecer suas composições e fazem isso até hoje.

YURI KROTOV - Manhã gelada
Óleo sobre tela - 80 x 100 - 2011

YURI KROTOV - Sol de março
Óleo sobre tela - 91 x 64 - 2011

Yuri Krotov esteve nos dois lados da moeda: do artista que inicialmente praticava um trabalho refinadamente acadêmico e do artista que se tornou um impressionista contemporâneo. Se antes seus trabalhos transbordavam na justeza do desenho e no uso estudado de tons e camadas, depois deu lugar a uma prática bem mais solta, com grossas e vibrantes pinceladas, que nos remetem às melhores fases do Impressionismo. Ele se tornou mundialmente conhecido em 1992, num leilão de arte russa realizado na Casa Drouot, em Paris. Desde então, toda a Europa e os Estados Unidos se renderam aos seus trabalhos.

YURI KROTOV - Dia de prata
Óleo sobre tela - 60 x 50 - 2008

YURI KROTOV - Rapsódia solar
Óleo sobre tela - 90 x 100 - 2007


Yuri Krotov nasceu em 1964, na aldeia de Grivenskaya, em Krasnodar, junto ao Mar de Azov. Os primeiros contatos com a arte se deram em 1972, com Polugaevym, que se tornou seu professor e mentor, anos mais tarde. Foi inclusive com ele que viajou para Moscou, em 1976, para a admissão na Escola de Arte de Moscou. Desde a sua bem sucedida participação no leilão da Drouot, começou a participar em diversas outras casas de leilão e galerias, espalhadas por vários países. Krotov é hoje um dos mais respeitados artistas da arte russa e, desde 2010, é professor na Academia Russa de Pintura, Escultura e Arquitetura Ilya Glazunov.

YURI KROTOV - Terraço do Chateau Milande, Dordogne - Óleo sobre tela - 60 x 80


PARA SABER MAIS:


6 comentários:

  1. Respostas
    1. Inquestionavelmente belo.
      Grande abraço, Macário!

      Excluir
  2. Apaixonante! maravilhoso! belíssimo artista...
    Abração meu amigo, tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo de bom também, Vidal!
      Um grande abraço!

      Excluir
  3. olá José Rosário ...,
    sempre uma delicia passar por aqui e encontrar tanta gente talentosa ! amei este post!
    abraço ,Elisabeth C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom que tenha gostado, Elisabeth. É um ótimo artista, realmente.
      Grande abraço!

      Excluir