sexta-feira, 27 de outubro de 2017

ACADEMIA DE ARTE DE SÃO PAULO


Há, em todo o mundo, um movimento cada vez mais crescente de retorno à arte figurativa realista. A Internet é a grande aliada que tornou possível esse novo “Renascimento”, fazendo com que artistas e o grande público pudessem mostrar e apreciar os trabalhos, sem as amarras manipuladoras de galerias e críticos de arte. Felizmente, é chegado o tempo em que é possível apreciar aquilo que se deseja, com um simples toque de teclado. E o grande público sempre foi ávido por aquilo que exalta o belo e promove o artista hábil e dominador de todas as suas capacidades técnicas e criativas.




Na mesma direção dessa nova tendência mundial, começaram a surgir, em diversas partes do mundo, escolas de arte com o ensino voltado para as artes acadêmicas que eram desenvolvidas até o século XIX. A Academia Ilya Repin, em São Petersburgo, na Rússia, é a única que se mantém fiel a essa proposta, desde quando foi fundada, em 1757. Todas as outras academias espalhadas por diversos continentes, tiveram sua grade curricular “afetada”, de alguma maneira, por tendências modernistas e contemporâneas, ainda que tivessem sua base nos ensinamentos figurativos clássicos.




Uma academia de artes não se limita a um local de formação artística e de estudos somente. Junto com a capacitação técnica de todas as atividades relacionadas ao fazer artístico, principalmente no que diz respeito ao domínio preciso do desenho, também está à afirmação do caráter intelectual, desenvolvendo no artista aluno o gosto pelo conhecimento baseado nos ensinos clássicos, assessorado por um respaldo histórico-filosófico, desvinculando assim, a ideia de que ele se trata apenas de um trabalhador manual, um simples artesão.


          

          

Um dos motivos de minha última ida a São Paulo, nesse mês de outubro, foi visitar a Academia de Arte de São Paulo (AASP), idealizada e organizada pelo artista Gilberto Geraldo. A academia está situada no Bairro do Tatuapé, em um antigo galpão desativado, e que vai tornando, aos poucos, o ambiente propício do que já é um ponto de referência para arte tradicional acadêmica deste País. O próprio Gilberto me recebeu muito calorosamente numa tarde de sábado, e confesso que tudo o que vi e apreciei por lá, tem me tirado algumas horas de sono todas as noites, desde então.





Falar sobre a Academia de Arte de São Paulo é falar um pouco da trajetória mais recente de Gilberto Geraldo, uma vez que tudo ali só é possível graças ao seu propósito tão bem focado e determinação imbatível. Dizem que somente com objetivo, não nos deixamos desvencilhar de nossos propósitos. Quando saiu do Brasil, quinze anos atrás, para estudar na Academia Ilya Repin, Gilberto tinha em foco a especialização num dos sistemas mais rigorosos de ensino artístico do mundo. No auge de sua carreira, com uma clientela seleta já formada, ele deixou para trás o seu país, a estabilidade de sua posição profissional, o conforto de sua casa e o convívio com familiares e amigos, e se propôs uma nova realidade. Não foram suficientes a dificuldade da nova língua, o frio extremo do norte russo e os desafios diários da academia russa para lhe desanimar. É muito bom ver um artista satisfeito em sua escolha e convicto de que nada do que se propôs foi em vão. Retorna agora, o artista pleno de seus domínios artísticos, na companhia de esposa e filho e com uma nova proposta de vida. Proposta que deseja dividir com todos aqueles que se encantam com a arte e a desejam levar ao patamar mais elevado.





Um dos objetivos do Gilberto, que ficou bem claro em nossa conversa, é a de formar uma geração de excelência acadêmica no Brasil. Passo que será dado no próximo ano, quando dará início a primeira classe da Academia de Arte de São Paulo. Fundada no dia 2 de junho de 2016, o local se tornou passagem por várias turmas de alunos que desenvolveram e ainda estão desenvolvendo em cursos preparatórios para a Academia em si. Em três meses de ensino preparatório, o aluno aprende a dominar e manipular técnicas de desenho e pintura; habilidades essenciais para o decorrer do Curso Acadêmico que virá pela frente.




A Academia de Arte de São Paulo não é o primeiro empreendimento desse tipo na carreira de Gilberto Geraldo. Ele já possui em São Petersburgo/Rússia, um estúdio com essas mesmas características, e que tem preparado alunos de todo o mundo para ingressarem na Academia Ilya Repin. Juntamente com artistas russos e chineses (amigos e colegas dos tempos de academia), montaram um empreendimento que tende a se espalhar por várias partes do mundo. Portanto, ter acesso a uma academia com os mesmos critérios de ensino da mais renomada escola acadêmica do mundo, a de São Petersburgo, é um privilégio que os artistas brasileiros estão tendo, e que posso afirmar categoricamente: é algo que não acontece desde os tempos da extinta Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, que tantos ilustres artistas formou, como Pedro Américo, Vitor Meirelles, Almeida Júnior, Oscar Pereira da Silva e tantos outros.


GILBERTO GERALDO - Natureza morta - Óleo sobre tela

Voltei de São Paulo com os ânimos reavivados. O desejo de aprender não conhece idade e me pareceu uma bela proposta futura. Incentivo a todos que posso, e que se propõe a formar academicamente como artistas, que visitem as instalações da Academia de Arte de São Paulo. Agendem um horário para visitação e se deixem contagiar pela atmosfera fantástica que se respira ali.



Rua Dr.Ernesto Mariano, 335, Tatuapé, São Paulo/SP

(11) 3542-4274



PARA SABER MAIS:





4 comentários:

  1. Amo seus comentários e suas abordagens em relação às artes.Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Márcio.
      Legal que os assuntos despertem algo.
      Grande abraço!

      Excluir
  2. Tenho certeza que esse encontro vai dar muitos frutos... Gilberto Geraldo é um grande Mestre!!!
    Amigão felicidades, abração!

    ResponderExcluir