domingo, 16 de agosto de 2015

CORNELIS SPRINGER

CORNELIS SPRINGER - O Gemeeslandschuis e uma velha igreja, em Delft
Óleo sobre tela - 66 x 96 - 1877

CORNELIS SPRINGER - Uma vista de Staal Everspijp e Grote Kerk, no verão
Óleo sobre tela

O gosto pela arte urbana foi despertado em Cornelis Springer bem cedo, quando começou a se interessar pela pintura, embora tenha começado sua carreira pintando paisagens. Escolha que deve ter sofrido uma forte influência da tradição norte-europeia de produzir obras bem elaboradas e minuciosas. Foi produzindo cenas urbanas, que ele se tornou um dos mais respeitados artistas de seu gênero. Nascido em uma família de carpinteiros e construtores, Springer era dotado de um sólido conhecimento de arquitetura. Seu irmão mais velho, Hendrik Springer, um arquiteto profissional, lhe ensinou os princípios do desenho arquitetônico e perspectiva. Após completar seus estudos na Academia de Amsterdã, em 1835, Springer tornou-se um aluno de Gaspar Karsen, um pintor conhecido de cenas urbanas.

CORNELIS SPRINGER
Interior de uma igreja em Amsterdã
Óleo sobre tela - 79 x 62 - 1846

CORNELIS SPRINGER - Binneport em Culemborg - Óleo sobre tela

CORNELIS SPRINGER
Em frente ao Westerkerk, Enkhuizen
Sanguínea sobre papel - 55 x 45 - 1867

Cornelis Springer nasceu em Amsterdã, a 25 de maio de 1817. Além dos ensinamentos iniciais obtidos em casa, também recebeu orientação artística de Andries de Wit, Jacobus van der Stok, Hendrik Gerrit ten Cate e Gaspar Karsen. Todos eles também abordavam temáticas parecidas àquelas que viriam a ser o carro-chefe da carreira de Springer. Ele permanece incontestado como o primeiro e mais completo pintor holandês de cenas urbanas. A partir de meados da década de 1850 em diante, ele estabeleceu sua reputação como um pintor especializado em cenas topograficamente precisas de cidades. Sua reputação havia se espalhado tão positivamente, que os colecionadores interessados em suas obras chegavam a participar de uma lista de espera por três anos.

CORNELIS SPRINGER - Figuras em lazer, perto de um castelo em Wijk Bij Duurstede
Óleo sobre tela - 41 x 52,5 - 1857

CORNELIS SPRINGER - Paisagem com moinho - Óleo sobre painel - 48 x 58 - Entre 1850 e 1852

Embora tenha vivido a maior parte de sua vida em Amsterdã, o seu maior hábito era percorrer o país em viagens, coletando os cenários para suas composições. A partir de seus apontamentos, desenvolvia os trabalhos posteriores em estúdio. Ao contrário de Karsen, que pintou cenas urbanas imaginárias, Springer se esforçou por representar vistas topograficamente precisas, descobrindo que estas atraíam um público muito maior. Embora Springer elaborasse um pouco as suas composições, ajeitando e enquadrando melhor os elementos na cena, elas refletem a situação real com bastante precisão, retratando a vida em uma cidade holandesa de uma forma imaginativa. Como regra geral, Springer primeiro estudava a situação no local, fazendo dela um estudo preparatório, geralmente no tamanho da pintura. Depois disso, ele retornava com seus esboços para o estúdio, em Amsterdã, e concluía as pinturas. Várias cidades tornaram temas importantes de suas obras, a destacar Amsterdã, Haarlem, Zwolle, Kampen, Enkhuizen, Monnickendam e Harderwijk.
Leonard Springer, filho seu que nascera em 1855, também foi treinado pelo pai e se dedicou à carreira de paisagista e arquiteto.


CORNELIS SPRINGER - A Câmara Municipal de Leiden - Óleo sobre tela

CORNELIS SPRINGER
Walenchurch, Haarlem, no verão
Óleo sobre painel - 49,5 x 40 - 1867

CORNELIS SPRINGER - Uma vista de Franeker, com o Zakkendragershuisje
Óleo sobre painel - 30,5 x 41,5 - 1872

Springer trabalhou de uma forma cuidadosamente precisa, o que resultou em uma incrível riqueza de detalhes. Ele normalmente focava sua atenção em uma parte central das cidades que visitava, fazendo composições bastante ricas e movimentadas. As casas triangulares ricamente decoradas sempre forneceram uma oportunidade única para mostrar suas habilidades pictóricas. Springer completava suas composições com grupos de figuras e cavalos, somando-se a animação da imagem. As cenas eram geralmente banhadas por uma luz suave e brilhante, e a distribuição de áreas ensolaradas e sombreadas era magistral, criando uma verdadeira sensação de profundidade que convida o espectador para a composição.



CORNELIS SPRINGER
Figuras num mercado de peixe, em Delft
Óleo sobre tela - 65,5 x 55,5 - 1853

CORNELIS SPRINGER - O Wijdstraat, Oudewater, no verão - Óleo sobre tela - 56 x 73,5 - 1878

CORNELIS SPRINGER - Figuras numa rua de Alkmaar
Óleo sobre painel - 30,5 x 24,5 - 1872

Artista versátil em termos de técnicas, Cornelis Springer deixou cerca de 650 trabalhos realizados em aquarelas, gravuras, desenhos e óleos. Ele foi condecorado com a ordem Leopoldo da Bélgica em 1865, e em 1878 ele foi convidado com Jozef Israëls para assessorar o Ministério de Assuntos Públicos holandês sobre os planos para o Rijksmuseum. Os 59 anos de carreira comprovam o quanto fez da arte um estandarte em sua vida. O artista faleceu em Hilversum, a 20 de fevereiro de 1891. Sociável e muito dedicado àquilo que sempre amou; a pintura; conquistou reconhecimento ainda em vida. Seus trabalhos tem alcançado altas cifras em todas as casas de leilões europeias, como no caso de uma obra leiloada na Sotheby de Amsterdã, em 2006, que atingiu o valor de 1 milhão e 100 mil euros.


CORNELIS SPRINGER num retrato feito por Nicolaas Pieneman

4 comentários:

  1. Boa tarde José.

    Mais uma grande aula.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma honra vê-lo por aqui, Macário.
      Grande abraço!

      Excluir
  2. E que mestre! suas cenas são maravilhosas!
    Belíssimo!
    Amigão, felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felicidades a você também, Vidal, companheiro de viagem por aqui.
      Um grande abraço!

      Excluir