segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

POR DENTRO DE UMA OBRA: Gilberto Geraldo

GILBERTO GERALDO - Vida e pesca - Óleo sobre tela - 150 x 190 - 2003

“Na imensidão do mar, cabem todas as esperanças!”

Não sei exatamente onde ouvi ou tenha lido essa frase, certo é que nunca a esqueci. Para um morador do interior como eu, o mar e todos os seus mistérios podem parecer um pouco distantes, mas para quem vive no litoral, o mar é tudo. Dele se extrai a sobrevivência e a sua importância é incalculável. Sobre o mar e a sua estreita relação com o homem já se produziram obras-primas da literatura e do cinema. Todas as principais passagens da história da humanidade estão envoltas pelo contato direto do homem com o mar. Na pintura não é diferente. É um tema sempre visitado por artistas de todas as escolas e estilos.




“Vida e pesca”, a obra de Gilberto Geraldo detalhada nessa matéria, resgata um pouco disso, a relação entre o homem e o mar. Ainda que o mar não esteja diretamente representado na pintura, a composição privilegiou as cores que nos reportam imediatamente ao litoral. Estão lá todas as variantes de azuis, verdes, cinzas e areias. Estão lá também alguns de seus produtos, que o homem extraiu para a sua própria sobrevivência e também com os quais mantém o seu trabalho. Muitos pescadores vivem de forma amadora e artesanal e movimentam uma significativa parte dos negócios de pesca feita em litorais de todo o mundo.




É uma pessoa simples, em sua cabana bem rudimentar. Mas o tratamento dado à pintura tornou a cena em si de uma suntuosidade incomparável. Há uma luminosidade especial que define e valoriza todos os objetos e especialmente a figura. A figura também divide a cena em duas naturezas mortas. À sua esquerda, estão os produtos de seu trabalho e à sua direita uma mesa posta com caldo de peixe quente e vinho, propositadamente colocados para fazer uma alusão singela e direta à referências bíblicas, conforme informação do próprio Gilberto.





A composição foi montada no próprio ateliê do artista, em Santa Isabel, utilizando um modelo vivo. Essa obra foi vencedora do 54º Salão Paulista de Belas Artes (o último aliás) e foi contemplada com a Grande Medalha de Ouro. Hoje faz parte de um acervo particular.




14 comentários:

  1. O mais impressionante é a maneira como toma o vinho, segurando o pão...
    Esta obra é maravilhosa!
    Parabéns, meu amigo, bela matéria!

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo trabalho.
    Agradeço a oportunidade de poder ler matérias de arte tão interessantes.
    Mais uma vez, parabéns por seu trabalho de divulgação artística.
    Um abraço grande desde aqui.

    S. Quimas
    Artista plástico, designer e escritor.
    https://www.facebook.com/SQuimas

    ResponderExcluir
  3. Olá Quimas e Vidal, obrigado pelas vindas, amigos!
    É uma obra que merece uma divulgação em grande escala. Daquele tipo de trabalho que já está na história. Uma pena não estar em uma coleção pública, para que todos tivéssemos acesso.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde José.

    Percebi nesta obra, por favor me corrija se estiver errado, profunda influência de Almeida Júnior.
    Uma obra magnífica, que como você disse acima, merecia estar num grande museu.
    Obrigado mais uma vez por nos trazer essas maravilhas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Macário, há sim uma veia que lembra muito o Almeida Júnior, mas ao mesmo há algo atual, com contornos de pinceladas desmanchadas, bem ao estilo dos grandes realistas desse tempo.
      Uma obra pra se estudar. Uma aula!
      Grande abraço e obrigado por passar aqui!

      Excluir
  5. Olá caro José, realmente é uma obra digna de um grande museu. O que mais me deixou maravilhado é a anatomia perfeita da personagem. É impressionante ver tantos perfeição, mas também,uma obra de um autor como Gilberto Geraldo não poderia ser diferente.
    Parabéns ao artista pela obra e pelo prêmio, e a você pela ótima matéria.
    Um abraço!

    Cleber Oliveira
    www.ateliecleberoliveira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não temos por aqui o hábito de grandes colecionadores emprestando trabalhos importantes a museus, como ocorre nos Estados Unidos e Europa. Um costume que merecia ser pensado.
      Grande abraço, Cléber!

      Excluir
  6. Olá meu amigo como vai?mais um grandioso artista é Gilberto Geraldo e não poderia deixa de comentar esta obra maravilhosa que nos chama para fica olhando,estudando sem para; suas pinceladas e cores, nos ensina muito! medalha merecida meus parabens. até o proximo encontro grande abraço José .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Isaque, como disse antes, uma obra que é um estudo. Uma aula de composição e técnica.
      Grande abraço!

      Excluir
  7. A pintura é impressionante... fico até sem palavras... Entender a obra em si nos remete para dentro dela, nesse momento fui peixe, pão, vinho e pescador, a panela de ferro lembra meus avós... Bela matéria amigo José... Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, bela metáfora. Uma boa obra tem esse encanto, arrebatar mesmo.
      Grande abraço, Yure!

      Excluir
  8. belíssimo! uma obra que fala muito, expressão, pinceladas, composição , nos prenderia durante hrs analisando cada centímetro quadrado.......literalmente uma lição de arte!.....parabéns ao artista!

    ResponderExcluir
  9. José Rosário, obrigado! Agradeço também as pessoas que deixaram seus comentários, Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma honra sempre tê-lo por aqui, Gilberto. Um grande abraço!

      Excluir