segunda-feira, 31 de outubro de 2016

COSTA DVOREZKY

COSTA DVOREZKY - No estúdio - Óleo sobre tela -142,2 x 213,3

COSTA DVOREZKY - Cativo 4
Óleo sobre tela

COSTA DVOREZKY - De costas - Óleo sobre tela

Retratos e cenas com figuras humanas em grande escala foram muito encomendados por religiosos, aristocratas e políticos durante muitos anos. A figura humana foi imortalizada durante vários séculos, principalmente em tamanho natural, até que a fotografia ocupasse essa função. Acabou por se tornar um tema que deixaria famosos muitos artistas na história da arte. Nos tempos atuais, vários artistas voltaram a visitar essa temática, adaptando e propondo novas leituras, de acordo com as solicitações desses novos tempos. A arte de Costa Dvorezky retrata o ser humano com todas suas mazelas, virtudes, inquietações e dramas. E convida aos seus espectadores a fazerem parte desse mundo tão diversificado e introspectivo.

COSTA DVOREZKY - Cativo 2 - Óleo sobre tela

COSTA DVOREZKY - Cativo 3 - Óleo sobre tela

Há todo um simbolismo na obra de Dvorezky, proveniente do esforço constante em entender o aspecto humano em todas as suas faces. O aparente sadismo revelado em suas figuras, que é o aspecto marcante em sua obra, é uma crítica à constante banalização ao corpo humano. Seus temas falam do desejo fictício alimentado na mente de todos os seres humanos e que muitas vezes são reprimidos ou escondidos do convívio social. Ele quer nos chocar expondo aquilo que as mentes arquitetam e que o corpo evita. Procura a busca pela liberdade ilimitada, nos corpos que se lançam ao ar ou que se deleitam em profunda relação.

COSTA DVOREZKY - Beijo II - Óleo sobre tela - 183 x 122

COSTA DVOREZKY - Professora de salsa - Óleo sobre tela - 121,9 x 152,4

COSTA DVOREZKY - Pulling a blanket
Óleo sobre tela - 183 x 137

Um dos aspectos importantes a se realçar na obra de Dvorezky é que ele não abre mão da tradição. Busca referências no Impressionismo e Expressionismo ocidentais, mas os reinterpreta para um estilo muito bem composto, que se adapta perfeitamente para as linguagens contemporâneas. Há quem faça ligações de suas figuras com as sombras profundas de Caravaggio e toda a introspecção que emana delas. Sua técnica refinada é trabalhada em pacientes camadas de veladuras e etapas. O resultado é um trabalho que convence pelo realismo, mas que se funde perfeitamente a fundos desfocados e não concluídos.


COSTA DVOREZKY - O salto
Óleo sobre tela - 182,8 x 121,9

COSTA DVOREZKY - O pulo dos irmãos - Óleo sobre tela - 152,4 x 243,8

COSTA DVOREZKY - O pulo - Óleo sobre tela - 182,8 x 142,2

Nascido em Moscou, em julho de 1968, Costa Dvorezky teve uma formação rigorosa e muito bem alicerçada, como é típico dos artistas russos. Ele graduou-se pela Escola Secundária de Arte de Moscou, em 1983, com nova graduação pela Faculdade de Arte de Moscou e mestrado pela Academia Stroganov de Arte, também em Moscou. A grave crise econômica que se instalou em solo russo, depois da queda do Muro de Berlim, levou Dvorezky a procurar novos mercados para sua arte. Após uma temporada no ocidente europeu, acabou indo para o Canadá, onde se estabeleceu e conquistou fama. Hoje, é respeitado como um artista que sabe abordar como poucos, uma linguagem universal. Seu trabalho se identifica com qualquer pessoa de qualquer parte do mundo.

COSTA DVOREZKY - A máscara - Óleo sobre tela

COSTA DVOREZKY - Garota urbana - Óleo sobre tela - 127 x 152,4

COSTA DVOREZKY - Hash - Óleo sobre tela

O conjunto de sua obra é ousado. As imagens falam de uma forma direta, mas a interpretação de seus significados é feita por cada observador. Há um “querer examinar de perto”, conferir como a carne dos seus corpos retratados parecem tão reais. Além dessa curiosidade técnica, também há o desejo por desvendar os segredos ocultos de cada personagem. O reino da reflexão é o território mais convidativo quando se pensa em seus trabalhos.


4 comentários:

  1. linda matéria, e o artista e muito bom pinturas encantadoras. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os trabalhos são de uma qualidade incrível.
      Grande abraço, Isaque!

      Excluir
  2. Belíssimo artista... que explosão! que ousadia! fantástico!
    Um grande abraço meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obras audaciosas, realmente!
      Grande abraço, Vidal!

      Excluir