domingo, 9 de janeiro de 2011

DICAS PARA COMPOSIÇÕES FLORAIS (José Rosário)

NANCY BAUTZMANN - Transparências
Óleo sobre linho, 61 x 91

Há um conceito errado de que as composições feitas com flores sejam as composições mais fáceis de se pintar. Dependendo, evidentemente, dos objetivos que se tenha com uma composição floral, a facilidade aparente se mostrará como uma opinião muito equivocada. Diversos fatores tornam uma composição floral mais atraente, e eles vão desde aquilo que se queira visualizar de primeira mão, até aquilo que se pretenda deixar como complemento na composição. Seguem, abaixo, algumas dicas bem interessantes para aqueles que pretendam se iniciar por esse caminho:

1 . ESCOLHENDO AS FLORES:
É mais sensato que se comece os primeiros exercícios com flores de estruturas menos complexas e elaboradas. Escolha as flores que goste, tomando cuidado em selecionar as menos complexas e evitando aquelas que necessitem de uma atenção maior para as proporções e volumes. Também não coloque muitas flores nas suas composições iniciais. Prefira um arranjo mais simples, usando poucas flores e se preocupando em equilibra-las entre si. Quando treinar a habilidade em representa-las, faça composições com buquês mais complexos. Nos primeiros exercícios, use apenas flores e suas folhagens, procurando ganhar mais intimidade com elas antes de partir para um arranjo com muitos elementos.


CONNIE KUHNLE - Conversações
Pastel sobre canson, 38 x 61
Poucas flores são recomendadas para exercícios
iniciais. Experimente fazer o mesmo exercício com técnicas
diferentes e compare os resultados.

GEORGE COCHRAN LAMBDIN - Rosas no muro 
Óleo sobre tela, 51,4 x 42
Ao dominar técnicas e composição, inclua
bastante elementos em seus trabalhos.

VINCENT VAN GOGH - Girassóis
Óleo sobre tela, 92 x 73
Esse talvez seja um dos florais mais conhecidos do mundo.
De estrutura simples, é arrojado pelo uso variado de amarelos.

2 . ESCOLHENDO ACESSÓRIOS:
Vasos, jarras e outros acessórios, deixam a composição floral com um apelo mais elaborado, por isso mesmo, necessitando de muitos cuidados ao utiliza-los. Primeiramente, adeque o acessório escolhido com as flores selecionadas. Atente para a cor, textura, transparência e principalmente com a forma dos acessórios escolhidos. Flores com um desenho muito elaborado ficam mais bem situadas em um acessório simples, ao passo que as flores mais simples, aceitam um acessório mais elaborado. Dispor flores complexas em acessórios complexos pode gerar muita informação, deixando a composição confusa. Isso não é uma regra definitiva, mas ajuda bastante. Há artistas que conseguem um bom equilíbrio, mesmo usando conjuntos bem complexos. Essa habilidade virá naturalmente com o tempo.


HEDI MORAN - Rosas em vaso azul
Óleo sobre tela, 51 x 41
As rosas amarelas colocadas em um vaso azul ganharam um destaque
especial devido ao uso muito bem explorado dessas cores complementares.

HEDI MORAN - Rosas do Arizona
 Óleo sobre tela, 61 x 76
Mais um trabalho de Hedi Moran explorando as cores complementares. 

A. BURGHARDT - Um arranjo com flores e frutas de verão
Óleo sobre tela, 70 x 120
Combinar vários elementos numa natureza morta floral requer um
domínio de composição que pode levar um bom tempo.

CHRISTOPHER PIERCE - Girassóis em vaso chinês
Óleo sobre tela, 101,6 x 127
Composição de flores complexas em um vaso também complexo.
Isso só foi possível explorando com domínio os espaços negativos,
deixando os espaços positivos "respirarem" entre si.

3 . ATENÇÃO AO FUNDO:
As flores e os acessórios são os elementos principais de uma natureza morta floral, mas não se deve esquecer que eles só realçarão, se estiverem contra um fundo adequado. Ao utilizar flores muito claras, tente coloca-las contra um fundo em tons médios ou escuros. Flores claras contra fundos claros não criam contraste tonal suficiente e deixam a composição monótona. Quando optar por flores de desenho complexo e cores bem vibrantes, coloque-as contra um fundo claro para que as mesmas possam realçar. Isso não implica em dizer que os fundos devam ser apenas lisos. Cortinas, janelas, móveis, toalhas e outros elementos de fundo, podem até dinamizar e integrar melhor a composição.


EDGAR OEHLMEYER - Vaso de flor
Óleo sobre tela,72 x 60
Flores claras contra fundo de tom médio, cercadas por tons
escuros das outras flores e do jarro.


KIRK RICHARDS - Arranjo em ouro
Óleo sobre tela, 102 x 76
Fundo com vários elementos que não comprometeram a
atenção principal dada às flores.

ALDO COSTA - Rosas vermelhas
Óleo sobre tela
Note como envolver flores vermelhas em uma folhagem verde
valoriza a intensidade das flores. Isso também é devido ao
uso correto dessas cores complementares. A diversidade das 
estruturas das flores também enriqueceu a composição.

HENRI FANTIN-LATOUR - Rosas brancas e cor-de-rosa
Óleo sobre tela, 37 x 32
Nada nessa composição compete com o tema principal, as flores.
O tom escuro criado em todo o entorno delas, intensificou ainda
mais esse efeito.

4 . FAZENDO A COMPOSIÇÃO:
Ao incluir outros objetos, além das flores e de seus acessórios, pense que eles deverão estar inseridos em um conjunto, dando a eles o devido cuidado, para que não pareçam estar deslocados da composição. Monte os objetos ao natural e faça diversas tentativas de composição. Ao agradar daquela que melhor lhe atenda, escolha o papel ou tela onde irá representa-los em função da proporção da composição que foi elaborada. Não tente ficar adequando a sua composição com proporções  diferentes de telas e papéis, isso nem sempre pode gerar resultados agradáveis.
Nas composições mais complexas, o mais importante é ficar atento aos contrastes. Intercale formas arredondas com formas retas, objetos escuros contra claros e tamanhos diversificados. Dê bastante atenção às texturas dos mesmos. Dispondo os elementos de cores complementares mais próximos, sua composição ganhará mais dinamismo.
Não deixe todos os elementos de uma composição alinhados horizontalmente. Coloque uns mais à frente e outros em um plano posterior, assim conseguirá que os olhos sejam conduzidos por toda a obra.


WILLIAM C. WRIGHT - Cravos do inverno
 Aquarela, 71 x 53,3
Apesar de uma cena muito iluminada, a chave dessa composição
está no contraste conseguido entre todos os objetos.

RODRIGO ZANIBONI - Rosas
Óleo sobre tela
Cores vibrantes contra fundo claro valorizam os elementos principais.
O estilo despojado e solto das pinceladas deu ainda mais
harmonia a essa bela composição.

DAGOBERTO VITOR - Arranjo floral
Óleo sobre tela
Muita transparência, tecido, porcelana e flores ordenadas de
uma maneira descontraída e muito bem combinadas. A página
por abrir sugere um leve movimento na composição.

ANNIE FERRAY MUTRIE - Natureza morta com flores sobre uma pedra
Óleo sobre tela, 82 x 64
Composição complexa, com fundo arrojado e elementos complementares muito
bem explorados. As cores claras da toalha, passando pelas flores e terminando
nas cores do céu, dão movimento e equilíbrio a essa composição.

5 . ARRISCANDO COMPOSIÇÕES INUSITADAS:
Nem sempre as composições mais tradicionais de naturezas mortas florais podem ser as mais ideais para o efeito que se deseja. Cortes inusitados no enquadramento, deslocamento de objetos e close em pontos diferentes podem deixar o trabalho com um aspecto mais contemporâneo e arrojado. Arrisque sempre!


MICHAEL FERRIS - Vaso de cristal
Aquarela, 72 x 104
Um ângulo completamente inusitado numa simples composição.
O galho de orquídeas pendente e suas sombras
nos obrigam a olhar imediatamente para o vaso logo à frente.

DAVID HERZIG - Peônia
Aquarela, 56 x 76
Closes de flores complexas , além de instigantes, expõe detalhes
que enriquecem qualquer composição.

THEODOR RIEGER - Ave do paraíso, strelitzia
Óleo sobre tela, 41 x 91
Recorte muito bem explorado desse detalhe de uma strelitzia.
Com um pouco mais de imaginação a obra se torna quase
uma abstração.

SHOKO JUDD - Romance de Rhodo
Aquarela, 44 x 61
Mais um close muito bem explorado com uma iluminação
incidente de maneira vertical, realçando os vários volumes e contrastes.

6 . ESCOLHENDO O ESTILO:
O estilo é a identidade única e intransferível de cada artista. É na maneira como se faz que ele expressa seus melhores sentimentos. Escolher o estilo ideal de um trabalho, tem a ver intimamente com a identidade expressiva de quem o fez. Do estilo mais acadêmico até as mais atuais experiências contemporâneas, as composições florais sempre se fizeram presentes.


CARLOS SCLIAR - Flores várias
Mista sobre tela, 55 x 75
Sugerir as flores com apenas algumas manchas
é o ponto forte da carreira desse artista.

JOHN K. HARRELL - Sonhos de íris
Mista sobre tela, 76,2 x 76,2
Muito mais do que se preocupar em representar uma flor,
a composição acima se preocupa primeiramente com a
distribuição e o equilíbrio das cores.

CARLOS BRACHER - Flores avermelhadas
Mista sobre tela, 81 x 60
Floral abstrativo de forte impacto.

ALDEMIR MARTINS - Natureza morta
Nanquim e anilina sobre papel, 34 x 25
Primitivismo e equilíbrio levados a sério nessa 
bela composição.

7 . ESCOLHENDO A TÉCNICA:

Não existe a melhor técnica para uma composição floral. Você irá adequar a técnica escolhida com o resultado que deseja obter. Aquarelas dão ótimas transparências, o óleo permite elaborações bem clássicas, a acrílica se adequa muito bem a trabalhos mais contemporâneos e texturizados, lápis de cor produzem resultados fantásticos quando usados com produtos de melhor qualidade, grafite e carvão permitem estudos bem rápidos e dinâmicos, portanto, experimente todos aqueles que puder e encontre o seu melhor caminho para se expressar.


ROSANE POMNITZ - Copos de leite
Acrílica sobre tela, 100 x 120
Texturas e transparências são aliados perfeitos
da técnica acrílica.

NILTON ZANOTTI - Rosas
 Mista sobre tela, 100 x 40
Composição quase geométrica que
prima principalmente pelo equilíbrio
de tons suaves e traços gestuais.

OLE KJORTZBERG - Arranjo 
Óleo sobre tela, 61 x 50
As flores se tornaram mais quentes rodeadas
por uma densa camada de cinzas neutros. Só depois 
de observa-las é que a atenção se distribui aos
outros objetos da mesa.

19 comentários:

  1. Bom dia.
    Nada entendo de pintura, mas passeando pela internet encontrei seu blog e o estou achando muito bonito.
    Obrigada por partilhar.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado a você, pela visita. O que seria das páginas de blogs sem os leitores?

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. ...gentil responder.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Seu trabalho é realmente um dom de DEUS, parabéns, é belíssimo.... enchi os meus olhos..

    Val

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Valdemira, pela visita e pelas palavras de apoio. Até uma outra oportunidade.

    ResponderExcluir
  7. Internet tem de tudo, mas surpreende-me: a qualidade da sua pintura, a riqueza de pesquisa e a profundidade dos temas, numa abordagem clara e didática, para quem quiser, onde quer que esteja, ser seu aluno. Parabéns e muitíssimo obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Olá Sandra, obrigado pela vinda e pelos elogios. A página não seria nada sem vocês do outro lado, permitindo a oportunidade desse "quase" diálogo. Trocar experiências é também uma maneira de dialogar.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Eu estou aprendendop muito, josé, seu trabalho é de uma beleza fora de serio, eu admiro seu trabalho a muitos anos mas só agora posso comentar alguma coisa, parabens pelo bom gosto e tecnica tão apurada

    ResponderExcluir
  10. Olá José, obrigado pela visita e pelo incentivo.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. ola jose andei meio sumido , voltei e encontrei seu blog como sempre pleno em beleza e jovialidade , vc é um abençoado. abração


    zeca

    ResponderExcluir
  12. Olá Zeca, bom que esteja por aqui novamente.
    Seja sempre benvindo.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Descobri, agora, por acaso seu blog, achei instrutivo, e generoso. Estou iniciando alguns ensaios (acrílico sobre tela) e para mim foi bastante positiva as suas colocações e criticas alem de serem muito bem ilustradas.
    Grande abraço e obrigado.

    ResponderExcluir
  14. Sobre o grau de dificuldade, realmente é um equívoco pensar que é fácil pintar uma composição floral... Eu já fui tentar pintar florais com rosas salmão e brancas, e é difícil pra caramba.

    Espetaculares teus trabalhos! Parabéns e um grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Márcio. As flores são um tema atraente, mas dominar com precisão uma representação correta delas, exige muita disciplina.
      Grande abraço!

      Excluir
  15. Sou aluna da Escola de Artes Oswaldo Verano, na cidade de Anápolis, GO. Estas dicas são valiosas para os iniciantes como eu. Obrigada por partilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna, fico feliz que matéria tenha trazido algum auxílio.
      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir
  16. Mestre, tenho aprendido muito com suas dicas, muito obrigado e que deus te abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela vinda, Jorge. Um grande abraço!

      Excluir