domingo, 25 de setembro de 2011

CRIANÇA E ARTE: SEU FILHO É UM ARTISTA?

UGO DE CESARE - O filho do artista - Óleo sobre tela - 70 x 50

Muitas vezes sou questionado por alguns preocupados pais, com respeito a certas habilidades de seus filhos. Todos são curiosos em saber se podem estar com um “Picasso” dentro de casa e se há alguma maneira para reconhecer isso. Acredito que todos os profissionais que lidam com arte já tenham ouvido tais queixas: “ele não pára de desenhar, risca todas as paredes e os cadernos enchem de um dia para o outro...” De fato, alguns indicadores podem dar sinais que a criança tenha ou não, uma “veia” artística. Evidente que daí a se tornar um Picasso, há um longo caminho.


DAVIDSON KNOWLES - Aquarelista à janela
Óleo sobre tela - 35 x 50 - 1895

HENRIQUE POUSÃO - Esperando o sucesso
Óleo sobre tela - 1882

Já falei algo em uma matéria passada, mas é bom relembrar certos dados. Todas as crianças gostam de desenhar, umas mais que outras, mas todas são atraídas por isso. O desenho é uma ferramenta importante para expressarem seu mundo interior, como vêem as coisas, seus sentimentos e expectativas em relação à vida. E até serem alfabetizadas, esse pode ser o caminho mais sincero para se expressarem. Uma vez de posse do mundo das letras, muitas delas passam a escrever histórias, compor textos e narrativas que exprimem seu universo por uma outra maneira de expressão. Grande parte delas deixa de desenhar a partir dessa etapa, ou pelo menos, diminui a intensidade dos desenhos. O que não acontece, porém, com os “artistas precoces”. Mesmo alfabetizadas, as crianças com inclinação para as artes ainda continuam com a prática do desenho. Muitas se sentem tentadas a experimentar técnicas diferentes e novos temas.

JOHANN MARI TEN KATE
Um artista descansando de seu pincel
Óleo sobre painel - 33,5 x 44

Reconhecendo que seu filho tenha mesmo certas habilidades especiais para as artes, o melhor que se pode fazer para ajudá-lo é sair do caminho. Dê liberdade para que ele descubra com as próprias experiências, aquilo que mais gosta de fazer. Não induza seu processo criativo, dizendo para fazer isso ou aquilo e jamais desenhe para ele colorir. Reconheça suas evoluções, mas não elogie em excesso. Ele precisa de autocrítica para saber se está evoluindo ou não. Não fique ostentando os avanços artísticos de seu filho com os amigos, pelo menos na frente dele. Muitos podem se tornar tímidos por causa disso e terem suas habilidades retraídas. Por fim, essa dica de Thomas Hoving* é mais que preciosa: “Quando a criança souber que sabe pintar ou desenhar qualquer coisa sem que o fato se torne um grande acontecimento, está na hora de pedir aquela valiosa opinião de um artista profissional ou de um professor capacitado para isso”.

AURÉLIO DE FIGUEIREDO - Menina ao piano
Óleo sobre tela - 60 x 90 - Coleção Fadel

Seguem abaixo, mais 6 dicas muito importantes de Thomas Hoving, para aprender a detectar a genialidade artística de seu filho:

. Interesse, quase obsessão, por desenhar ou pintar da maneira mais realista possível. Enquanto as outras crianças se divertem com suas pinturas de maneira deliciosamente livre, a criança de real talento se esforçará por fazer desenhos que tentem captar a realidade do assunto.
. Muitas vezes a criança expressará frustração devido a incapacidade de acertar. Mas, invariavelmente, a obra vai ficando cada vez mais característica, às vezes só depois de dezenas e dezenas de desenhos prontos. Mesmo que as obras não sejam esforços “realistas mágicos”, você verá quanta atenção essa criança dará ao registro visual de detalhes específicos. Não raro, embora o assunto não seja tão real, pequenos detalhes serão quase de uma veracidade chocante com relação a vida.
. Um dos sinais de talento é que os olhos da criança bem dotada correrão com uma velocidade vertiginosa do assunto para o desenho ou pintura.
. A criança prodígio às vezes conseguirá desenhar com muita rapidez e produzir uma semelhança com o assunto sem se dar ao trabalho de olhar muito para ele.
. A criança talentosa vai rapidamente experimentar todos os materiais artísticos à mão e tornar-se um chato que exige cada vez mais. Não deixe de lhe dar tudo, de aquarela à tinta acrílica.
. A criança insistirá em criar obras com enredo.

* Thomas Hoving foi diretor do Museu Metropolitano
de Nova York por 10 anos, entre 1967 e 1977.
Já publicou diversos livros de arte, desde 1979.

LUIGI BECHI - Lendo notícias no estúdio do artista
Óleo sobre tela - 143 x 103

8 comentários:

  1. oi sou ana laura tenho 7 anos; gostei da sua materia quero pintar como voce, sua obra de arte e linda,voce poderia dar aula de arte na minha escola municipal eu e minha mae fica chocada com suas artes,,,,,, obrigado pela sua materia criança e arte,

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana Laura, que bom saber que gosta de arte. Como gostaria de dar aulas por aí, quem sabe um dia...
    Abraços a toda família!

    ResponderExcluir
  3. Que post maravilhoso Rosário, dicas preciosas! Meu filho tem quase dois anos, adora desenhar e pintar, como toda criança dessa idade, o pai babão aqui, fica fantasiando o talento do menino precocemente! rsrsrsrs
    Um abraço! Obrigado pelo texto

    Ps: O post anterior tbm esta um primor! Como sempre...

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pela visita, Leonardo. Ainda bem que o filho tem um artista em casa. Vai saber dosar os elogios e ajudar com moderação. O mais importante nessas horas é deixar produzir.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Postagem muito interessante José! Tenho dois filhos: o mais velho não tem a menor tendência para as artes; já o mais novo está sempre rondando meu atelier, pedindo para pintar (detalhe: ele não quer desenhar, só pintar!), mas acredito que não tenho nenhum pequeno gênio em casa, pelo menos até agora! rsrsrss

    Eu teria outra pergunta para vc: todo artista começa sua interação com a arte desde a infância? Das conversas com artistas percebo que o envolvimento com o desenho principalmente vem da infância... na tua experiência foi assim também?
    Um grande abraço e parabéns pela postagem!

    Luciana

    ResponderExcluir
  6. Olá Luciana. Os meus desenhos mais antigos, guardados por minha mãe, são da minha idade de 4 anos. Sempre gostei de desenhar e quando bem novo, também modelava muito com argila.
    Acho que é uma tendência natural sim, praticar desde cedo. E quanto antes forem possibilitadas as descobertas, tanto melhor!
    Vá sondando as atividades dos garotos. Quem sabe não tem um gênio por aí sim?!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. José Rosário, parabéns pela matéria. Infelizmente muitas crianças são impedidas pelos pais de praticar o que gostam, porque dizem que é muito difícil sobreviver da arte.Muitos são induzidos a fazer o que os pais dizem ser mais bem remunerados. É muito comum encontrarmos em vários setores, profissionais extremamente insatisfeitos porque não seguiram a sua intuição e fizeram o que não gostavam. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Neide, muito boa sua colocação.
      Há realmente uma busca constante, mais por parte dos pais que necessariamente dos filhos, de se integrar em um ambiente que dê conforto financeiro e certa estabilidade. Algo que é aceitável e até necessário. Infelizmente, existe também nessa busca uma desvalorização para os valores artísticos e culturais. Perde a humanidade e todos nós inseridos nela.

      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir