domingo, 30 de setembro de 2012

COMPONDO COM A EMOÇÃO

ALFREDO RODRIGUEZ - A rosa amarela - Óleo sobre tela - 24 x 12
Alfredo faz um trocadilho com a expressão "rosa amarela". Uma menina bem loira segura uma flor, formando um par perfeito para sua composição. Ficamos em dúvida de quem seja a rosa em destaque. Ele realça tudo isso colocando as duas imagens contra um fundo com cores complementares, criando mais contraste e consequentemente provocando um impacto muito maior ao observador. Alterar a realidade e fazer uso da composição usando a criatividade é uma das maiores conquistas deixadas pela arte moderna.

Provavelmente uma das maiores conquistas da pintura moderna é a liberdade que o artista conquistou para poder expressar os seus trabalhos. Mais importante que a veracidade ao tema abordado, a emoção passou a ser o combustível para melhor compor aquilo desejado. Para a pintura, em especial, expressar aquilo que se sente e que o mundo oferece como oportunidade de expressão, tornou-se um dos aspectos mais gratificantes para se realizar algo. E como na pintura a cor é que comanda a atmosfera do trabalho, nada melhor que saber utilizar de todos os recursos possíveis para que a emoção que se deseja para uma composição, seja a emoção que será despertada em um observador futuro. Fugir um pouco da fonte de inspiração que está a sua frente e imprimir na sua composição as cores que vem de sua emoção trazem infinitas possibilidades para que o artista possa desenvolver um trabalho único e compensador.


ALEXANDER SAIDOFF - A bela adormecida - Óleo sobre tela - 91,44 x 121,92
O clima de mistério e tensão foram provocados nessa composição com muita maestria. Ao colocar uma figura em cores quentes contra um fundo em tons bem frios, Saidoff nos convida a focar a atenção em seu ponto principal da obra, a jovem deitada sobre a grama, prestes a cair sobre em um lago. É um artista que usa e abusa do realismo para fazer uma arte que nos leva para além da realidade, criando cenas cheias de simbolismos e misticismos.

É bom ter em mente que, mesmo se permitindo liberdade para expressar aquilo que se sente, é necessário não se esquecer que o trabalho ainda precisa conservar uma certa estrutura cromática. As cores não poder ser simplesmente jogadas na tela e não apresentarem coerência entre si.


PETER BERUZKOV - Estudo de verão - Óleo sobre cartão - 20 x 25 - 2010

Em cima e abaixo, duas demonstrações de como composições bem distintas expressam muito bem sobre o mesmo tema, o verão. Os dois artistas, impressionistas por natureza, conseguem uma forte carga emotiva em seus trabalhos. Beruzkov faz uma leitura quase expressionista em uma rápida abordagem do tema. Em seu trabalho, o que importa é o movimento, a captação de um breve momento de alguém que pinta ao ar livre. Metcalf, mesmo com uma leitura um pouco mais próxima da realidade, ainda assim, valoriza alguns elementos com as cores que vem de sua emoção.

WILLARD METCALF - Fim do verão - Óleo sobre tela

As cores podem beneficiar ou prejudicar uma composição, podem criar interesse ou fazer com ele se perca. Exemplo: Quer um clima quente de verão? Observe aquilo que está à sua frente, sinta como se estivesse dentro da cena e viva a sua composição. Sinta o calor das cores de um dia assim, da luz que é irradiada com facilidade e dos movimentos que uma cena assim oferece. Interprete tudo isso, mas preste bastante atenção na composição, no uso das cores complementares, nos contrastes fortes que um dia assim sugere e na força do colorido, sem abrir mão da coerência entre essas cores.


CYRUS AFSARY - Trilha da lua - Óleo sobre tela - 50,8 x 76,2
O conceito que temos de uma noite é de um lugar sombrio, com tons bem escuros, frios, no qual quase nada pode se ver. Cyrus nos mostra uma noite diferente, a sua noite, prateada, com uma lua que esbanja muita luz e domina toda a composição. Ao contrário de nossa noite imaginária, sua cena é quente e nos remete a um mundo de sonho no qual ele havia se sentido.

PORTINARI - Família de Retirantes - Óleo sobre tela
Em Portinari, nem as formas e nem as cores condizem em quase nada com a realidade. O que ele faz é nos prender com a maior atenção ao sofrimento de seus personagens, realçado nas feições dramáticas e reforçado por cores que não nos deixam sair dali. As figuras, pintadas em tons neutros, parecem aprisionadas num mundo quente e causticante.

DALE TERBUSH - Retorno do Éden - Óleo sobre tela
Como o próprio nome do trabalho sugere, sentimos estar em um paraíso. Dificilmente iremos encontrar uma cena assim na natureza, com cores tão milimetricamente compostas e com um cenário tão ideal. Usar dos recursos técnicos e da emoção é a chave para se conseguir uma composição de sucesso.

Muitas cenas, se forem reproduzidas fielmente a uma fotografia ou até mesmo quando estão sendo observadas, não causariam o impacto que nos provocam ao serem concluídas numa pintura, se os artistas não emprestassem a elas a sua emoção, sua maneira única e intransferível de ver o mundo e que fazem da arte esse canal de possibilidades que nunca se extingue.
Não custa relembrar uma célebre frase de Drumond: "A gente põe nas coisas as cores que tem por dentro".

8 comentários:

  1. A arte moderna traz em si a liberdade, e esta liberdade proporciona aos amantes da arte formas e cores, emocionando, fazendo de uma simples pincelada uma bela composição... valeu amigo, felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vidal, sempre um prazer encontra-lo por aqui. Grande abraço!

      Excluir
  2. Essa matéria ficou fantástica. Parabéns.

    At, William

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado William. Bom também revê-lo por aqui, amigo!

      Excluir
  3. Portinari é impactante!
    Adorei as cores e principalmente dos textos (sempre uma aula)
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há tanto pra socializar, Paulo... Bom que essas vindas aqui acabam se tornando nosso ponto de encontro, meu e dos amigos que venho fazendo pela rede. Grande abraço!

      Excluir
  4. Contente de conhecer seu trabalho!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sílvia, e eu contente pro encontra-la aqui! Grande abraço!

      Excluir