domingo, 5 de março de 2017

MAURÍCIO BARBATO

MAURICIO BARBATO - A floresta amazônica encontra os Andes
Acrílica sobre tela - 99,7 x 150 - 2009

MAURICIO BARBATO - Qualea azul - Óleo sobre tela - 40 x 60

MAURICIO BARBATO - Selva pluvial - Óleo sobre tela - 40 x 60,2 - 2014

Gosto de pensar que a humanidade é boa, apesar de todos os meios de comunicação insistirem em mostrar o contrário. E que a Terra sempre será a nossa casa, apesar de todas as degradações e maus-tratos que vem sofrendo ao longo de séculos. Ela saberá se recompor, como já fez em outras épocas. Alimento incessantemente da ideia de que somos todos seres muito vulneráveis, habitando a casca de uma grande esfera. Um pequeno transtorno ecológico a nível planetário e toda nossa arrogância e ganância não passarão de certos caprichos. Também gosto de encontrar pessoas que já se “antenaram” para tais observações e que fazem da arte o veículo para difundir essas ideias e sensibilizar a outros. Maurício Barbato é um artista brasileiro, nascido no Rio de Janeiro em 1965, e que, pela minha alegre surpresa, traz uma mensagem ecológica em sua arte.


MAURICIO BARBATO - Amazônia andina - Acrílica sobre tela - 65 x 110 - 2005

Cidadão urbano, que já experimentou vários estilos e tendências em sua arte, Barbato encontrou na representação das matas tropicais o verdadeiro sentido de sua arte. Somente quem já se sensibilizou internamente e já se convenceu verdadeiramente de sua proposta, pode abordá-la com segurança e propriedade. Indo na contramão das tendências artísticas atuais, que desconstroem a imagem e usam recursos cada vez mais alternativos para se expressarem, Barbato voltou seu olhar para o recanto mais selvagem e primitivo das nossas matas e rios, e se armou tecnicamente da maneira mais realista para expressar isso. Quando muitos se libertam das formas, eis que ele se torna o mais hiper-realista possível. Acreditar nas suas propostas e fazer delas um estandarte, coloca todos os grandes artistas em evidência. O reconhecimento virá infalivelmente para aqueles que descobriram seus caminhos, é tudo uma questão de consequência pelos frutos colhidos de dedicada disciplina.

MAURICIO BARBATO - Bambus - Óleo sobre tela - 40,5 x 59,7

MAURICIO BARBATO - Paisagem - Óleo sobre tela

MAURICIO BARBATO - Floresta úmida - Acrílica sobre tela - 70 x 100 - 2012


Formado em arquitetura pela Santa Úrsula, Barbato encontrou na arte sua expressão mais contundente. Um curso pela Prat University, em Nova York, veio solidificar os seus estudos na área artística, para que o pudesse munir com os recursos técnicos de que precisava para seguir suas propostas. Consequência de sua dedicada empreitada, é o reconhecimento pelo público leigo e crítico, e a aceitação em recorrentes leilões da Christie’s, uma das mais conceituadas casas de leilões do mundo. Que o senso de conservação e nostalgia pelos ambientes que vão se perdendo seja a mensagem contínua na obra de Barbato, e que ela possa despertar em muitas outras pessoas o desejo de manter e conservar melhor o planeta, a casa de todos. A arte é uma importante ferramenta para nos conduzir a uma nova era e um novo mundo.

MAURICIO BARBATO - Floresta do sudeste - Acrílica sobre tela - 80 x 119,4 - 2005

MAURICIO BARBATO - Tepuis, Brasil-Guiania - Acrílica sobre tela

MAURÍCIO BARBATO - Floresta primária - Acrílica sobre tela

8 comentários:

  1. Que trabalho maravilhoso! Que artista fantástico, suave, sensível, delicado, autentico, realista e ao mesmo tempo sonhador; parabéns, amei tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E antenado em fazer um trabalho que sensibilize e provoque reações.
      Grande abraço!

      Excluir
  2. Isso é quadro pra biólogo nenhuma botar defeito! rsrs

    ResponderExcluir
  3. excelente trabajo amigo Jose ; espero algun dia lograr sus exitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há vários artistas de grande talento por aí, Alonzo. Você e tantos outros, aos quais todos merecemos os maiores respeitos.
      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir
  4. Perfeito! uma grande descoberta!
    Abração meu amigo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Vidal. Acho que era mesmo desconhecido por grande parte do público.
      Obrigado mais uma vez, amigo!

      Excluir