terça-feira, 6 de maio de 2014

MORTEZA KATOUZIAN

MORTEZA KATOUZIAN - Autorretrato
Óleo sobre papel

MORTEZA KATOUZIAN - Crianças em Alley - Óleo sobre tela - 76 x 116 - 1997

Com a morte do famoso pintor persa Kamal-ol-Molk (1940), parecia que a arte acadêmica estaria com dias contados em solo iraniano. De fato, a década de 1940 e início de 1950 viu surgir um sem-fim de novos estilos e novas tendências nas artes plásticas do país. No entanto, mesmo com a possibilidade de novas linguagens, a arte moderna que se implantava no país, naquela época, ainda valorizava e muito as raízes do povo persa, suas conquistas e principalmente o momento histórico pelo qual passavam. Se olharmos com mais atenção, em quase todos os povos durante quase todas as épocas, as condições sociais, políticas e econômicas sempre tiveram um forte impacto no fazer artístico de todas as nações. Nas culturas asiáticas, em especial, isso tem um apelo ainda mais forte.

MORTEZA KATOUZIAN - Dr. Haj Seyed Javadi
Óleo sobre papel - 50 x 40 - 2002

MORTEZA KATOUZIAN - Uma garota triste
Óleo sobre tela - 1986

Morteza Katouzian nasceu no Irã em julho de 1943, exatamente nesse período de transição da arte iraniana, onde tendências e estilos se comungavam e por vezes caminhavam em paralelo. Teve o privilégio de nascer e ser criado dentro de uma família amante da arte, que muito o incentivou desde cedo. De maneira bem autodidata, construiu seu aprendizado com muitas pesquisas, até o ano de 1960. Também foi nessa época que se ingressou na arte comercial, criando cartazes, logotipos, capas de livros e folhetos.

MORTEZA KATOUZIAN - Dias de solidão
Óleo sobre tela - 80 x 100 - 2007

MORTEZA KATOUZIAN - Arrependido
Óleo sobre tela - 50 x 70 - 1981

Nos anos que antecederam a Revolução Iraniana, Katouzian trabalhou como membro do Conselho dos Artistas Gráficos do país. Período onde começou a divulgar seus trabalhos artísticos e receber uma boa crítica sobre eles. Isso o incentivou e logo estava a representar o país em exposições internacionais.

MORTEZA KATOUZIAN - Memórias da infância
Óleo sobre tela - 92 x 60 - 1992

MORTEZA KATOUZIAN - Um dia pela manhã
Óleo sobre tela - 120 x 90 - 1994

Em junho de 2008, Katouzian foi condecorado pela UNESCO, em reconhecimento ao importante trabalho que realizou no país, nos 50 anos de carreira que completava naquele ano. Trinta anos, dessa sua magnífica trajetória, foram prestados ao ensino. De seu ateliê, saíram importantes nomes da cena artística iraniana.

MORTEZA KATOUZIAN - Pastores - Óleo sobre tela - 70 x 100 - 1996

MORTEZA KATOUZIAN - Sem teto
Óleo sobre tela - 80 x 60 - 1984

Reconhecido internacionalmente, Katouzian possui muitas obras dispersas em várias coleções estrangeiras, além de cinco importantes obras no Museu de Arte Contemporânea de Teerã. Também já foram publicados quatro livros com a sua trajetória artística. Artista versátil, que não se prende muito a amarras, mescla seus trabalhos entre o Surrealismo e o Realismo acadêmico.

MORTEZA KATOUZIAN - Tecelã de tapetes
Óleo sobre tela - 77 x 56 - 1996

MORTEZA KATOUZIAN - Pequena loja
Óleo sobre tela - 70 x 52

Um fato curioso da vida de Katouzian não está ligado às artes e sim ao esporte. Ele foi o primeiro iraniano a conquistar a faixa preta de Karatê em seu país, na década de 1970. O envolvimento com esse esporte continuou a partir daí, não só incentivando novos atletas, mas também colocando o país no circuito internacional da modalidade.

PARA SABER MAIS:

7 comentários:

  1. maravilhoso, não conhecia. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. BELA PUBLICAÇÃO, COMO AS ANTERIORES, A ARTE NÃO TEM FRONTEIRAS, PARABENS ROS´RIO, ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Douglas.
      Muito bom encontra-lo por aqui. Abraços!

      Excluir
  3. Artista com um toque mágico.... maravilhoso!
    Abração meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom te ver novamente por aqui, Vidal. Grande abraço!

      Excluir
  4. Katouzian pinta com a alma... Transmite as alegrias e tristezas de seu povo com tamanha sensibilidade....
    Belíssima matéria amigo!!! Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse bem, Yure. é o que me passa também!
      Grande abraço, amigo!

      Excluir